Espacojames


Página Inicial
Listar Artigos Site Aarão




Artigo N.º 3972 - Joguetes de satanás
Artigo visto 2345




Visto: 2345
Postado em: 03/01/10 às 07:26:55 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=3972
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão

Neste tempo final, tão confuso e cheio de armadilhas, já o católico não sabe mais a quem seguir, não sabe quem está certo, e se o caminho que ele segue realmente salva. Milhares de vozes, cada uma como uma nova igreja se levantam e gritam sua própria verdade, no que cumprem a palavra de Jesus para estes tempos finais: Virão muitos falando em meu nome. Dizendo, eu sou o Cristo!... E nos avisa: não os sigais!


 
E a quem nós devemos seguir? Devemos seguir a verdadeira doutrina da Santa Madre Igreja, em fidelidade ao seu Catecismo, seus documentos, a sua Tradição, unidos a Sua Santidade o Papa Bento XVI, nosso chefe visível. E mais claro ainda: nunca devemos seguir a ninguém que ouse contradize-lo, ou pregar diferente daquilo que o Papa Bento XVI fala. Vou repetir para reforçar: Ninguém! E isso significa jamais seguir a qualquer autoridade eclesiástica, que em rebeldia contumaz defenda, ou viva, por exemplo, a malsinada teologia da libertação.
 
Quando eu era mais jovem, lembro que num Domingo a tarde li um texto sobre as decisões de Puebla e naquela tarde fiquei encantado. Mas no dia seguinte eu me senti mal, e percebi que tinha como que sido narcotizado ou até envenenado por aquele documento e a partir dali, tomei verdadeira ojeriza, verdadeira repulsa sobre todos os aspectos que vertem desta falaciosa “teologia”. Digo e reafirmo TODOS sem exceção, porque simplesmente não existe uma meia verdade: ela será sempre uma mentira.
 
Por exemplo: dizem que os protestantes têm parte da verdade! Ora, isso é uma grande mentira, porque Deus é a verdade, o que a torna indivisível, coesa, bem definida, além de ser imutável e eterna. Esta mentirosa teologia libertadora é falsa, porque parte de pressupostos falsos, fruto de distorção dos Evangelhos e das Escrituras. A “opção preferencial pelos pobres” daquele documento que me enfeitiçou naquele dia, é na verdade um engodo venenoso, primeiro porque não foi preferencialmente para os pobres de bens que Jesus veio, até porque Ele disse a Judas: pobres, sempre os tereis em vosso meio, a Mim, nem sempre! Ele falou isso para Judas, que recriminava a mulher que untava os cabelos de Jesus com óleo aromático, e disse: porque não se vende este óleo e dá o dinheiro aos pobres!
 
Perceberam o veneno? Que lábia tem satanás! Falou pela boca de Judas e falam hoje pela boca de Judas, todos aqueles que buscam dividir as riquezas de forma igualitária entre todas as pessoas indistintamente, como se esta fosse a fórmula perfeita de fazer justiça social e cumprir a vontade de Deus e de libertar o homem. O que Judas queria, no fundo, é que fosse posto o dinheiro na bolsa, do qual ele era o guardião, para poder roubá-lo. É o mesmo desejo daqueles que, bem sentados em poltronas confortáveis, em salas climatizadas, falam em opção pelos pobres, quando na verdade almejam o bem estar dos ricos. Pior! Eles vivem o bem estar dos ricos!
 
E pergunto: Quantos eclesiásticos destes abdicam de seu bom vinho, seu carro do ano, sua comida deliciosa e variada, e se alimentam exatamente como os pobres de quem tanto falam? Conte nos dedos! Você terminará de contá-los antes que acabem os dedos de suas mãos. São cínicos! São descarados! São verdadeiros joguetes de satanás, que os ilude com palavras modernas, cheias de efeito sonoro, mas venenosas como a baba daquele anjo negro e morfético. Dizem que seguem as Escrituras? Dizem seguir a Jesus? Que disse Ele ao jovem rico? Vai e vende tudo o que tens e doa aos pobres, depois vem e me segue! Que fez o jovem? Ficou triste! Eles também ficariam tristes se tivesse de abdicar de suas benesses em troca de obter moral para defender aquilo que pregam! Como? Vivendo na carne a realidade dos “excluídos”.
 
A falsa teologia da libertação é fruto do marxismo cultural, amplamente em ação no mundo inteiro. De fato, durante décadas os comunistas lutaram de todas as formas para implantar a ditadura do proletariado, mesmo a custo de mais de 100 milhões de assassinatos, e ainda assim não conseguiram. Que fizeram eles? Mudaram de tática. Ao invés de matar o corpo, mais fácil e mais certeiro matar a alma. Como? Destruindo a moral cristã! Mudando de todo a face da Igreja. Infiltrados nos governos e na igreja, estes agentes de satanás conseguiram já vitórias espantosas, o resultado pode ser visto hoje.
 
O que me custa a entender é como nossos bispos e padres não entendem que são apenas joguetes do diabo ao seguirem esta orientação. O mundo jamais mudará apenas porque você coloca a riqueza nas mãos dos pobres e dos trabalhadores. O que isso faz é apenas transformar o mundo em miseráveis. Deus fez o pobre e o rico. Fez o empreendedor e o trabalhador. Sem a pertinácia do empreendedor, sem a visão do comerciante, sem a organização e sem a ordem do patrão ou dono, o mundo vira um pandemônio, completamente desgovernado. Se todos os ricos, melhor, se todas as pessoas que têm bens os vendessem e doassem aos pobres, em pouco tempo estes teriam dilapidado a sua fortuna, e ela teria voltado exatamente nas mãos dos antigos donos. Isso acontece ainda hoje com os falsos assentamentos do nosso governo.
 
Um governo, de fundo marxista, que foi eleito exatamente sob a bênção e a ação direta de milhares de militantes ditos católicos, sob a bandeira da teologia da libertação. E o que arrumaram eles? Um governo herege e pagão, que luta com unhas e dentes, exatamente contra tudo aquilo que a Lei de Deus proíbe, e que tenta implantar aqui, de forma ditatorial, o aborto, a eutanásia, o amor livre, a pratica homossexual, e até a perversão de crianças. Interessante que mesmo vendo isso, nenhum dos que lutaram para eleger este governo, agora vem a público e se retrata, abomina seu ato em defesa destes marxistas, e passa a combater tal tipo de anti-evangelho! E se confessa!
 
Uno o pensamento anti-católico dos que seguem a esta falsa e abominável teologia, desde sempre condenada pelo Papa, com os atos deste governo insano, porque no fundo a intenção de ambos é a mesma. O governo, ao defender estas leis diabólicas acima apontadas, e os falsos teólogos com esta mentira, seguem no fundo a mesma cartilha, a do marxismo agora cultural. Ambos demolem com a verdade e com a moral cristã, em nome de uma falácia governamental e um engodo eclesial. Não é dando de graça a quem não trabalha que se distribui rendas, e sim com o pleno emprego. O que se consegue com isso é formar gerações de acomodados, que se contentarão com vis migalhas, enquanto a nação é penalizada, e a Igreja demolida. 
 
Em 1931 Adrian Rogers escreveu assim: "É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Por cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a".
 
Ora, nosso governo já está fazendo isso com quase metade da população. Eles acham que isso é fazer divisão de rendas. No fundo eles querem mesmo é formar um batalhão de eleitores fanáticos, que os perpetuarão no poder. Assim poderão aos poucos impor a ideologia marxista, que visa apenas a destruição da Igreja Católica. Mas como vimos isso não somente leva ao fim de uma nação, como também ao fim de uma Igreja. Muitos de nossos padres e bispos que seguem esta orientação maléfica, aprovam que o governo distribua gratuitamente certos benefícios, mas esquecem que nação alguma do planeta é tão estúpida a ponto de perpetuar esta prática. Ela faz apenas criar gerações de vadios, que se acostumam a viver de migalhas e “bicos”, enquanto o governo se obriga a esfolar os que trabalham para pagar a conta dos que nada fazem. Isso é um perigo mortal para nossa nação.
 
Como já disse, eu misturo as coisas da teologia da libertação com as súcias deste desgoverno, porque ambos são marxistas. A palavra: “excluído” foi criada pelos marxistas, e virou chavão que todo mundo repete como papagaio. Isso quando somente é verdadeiro excluído, aquele que vive longe dos sacramentos que salvam. Isso porque existe uma anterioridade nesta questão. Todo aquele que tem falta de alimento, de terra e moradia, na realidade e no fundo está distante de Deus. Há 10 anos atrás fiz um desafio que até hoje ninguém me provou o contrário. Tragam-me, um homem, um só, que seguindo a Lei de Deus e os mandamentos da Igreja Católica, que seja um homem de Deus e, portanto, de fé, que precise morar em beira de estradas, esteja sem emprego digno e não consiga sustentar sua família. Ninguém me trouxe ainda esta pessoa, porque de duas um só: ou ele me mentiria, ou Deus!
 
Veja o que Javé fala no Salmo 80, 14 Oh, se meu povo me tivesse ouvido, se Israel andasse em meus caminhos! .... 17 Eu o teria alimentado com a flor do trigo, e com o mel do rochedo o fartaria. Deus não mudou desde os tempos antigos e continua o mesmo Senhor da fartura hoje ainda. Ele pode transformar as pedras em pão e fazer correr água da rocha dura. Nada é impossível para Deus, e com absoluta certeza Ele jamais desampara a quem Nele confia. Assim, todo aquele que vive na miséria, desamparado, excluído, marginalizado, na realidade assim está porque se esqueceu de seu Deus, e, portanto, merece a situação em que se encontra.
 
Assim, eu clamo sempre pela anterioridade, ao princípio da Lei, pela volta a Deus. Na carta Libertatis Nuntius, que coloquei no site, o então cardeal Ratzinguer comentou profundamente a questão da falsa teologia libertadora, mas ateve-se a uma situação já existente. Nós, porém, devemos sempre nos lembrar que a Palavra diz assim: “buscai primeiro as coisas de Deus... o resto vos será dado por acréscimo”. Outra Palavra diz também em Jeremias 17, 5 Eis o que diz o Senhor: Maldito o homem que confia em outro homem, que da carne faz o seu apoio e cujo coração vive distante do Senhor! Ora, quem busca soluções humanas para problemas que cabem a Deus, é maldito. Eis porque tanta gente vive mal, come mal, veste-se mal, não tem trabalho frutuoso e digno e vive de esmolas. Quem se contenta em ser sustentado é um verme!
 
E assim será, enquanto os homens não compreenderem que se deve antes buscar as coisas de Deus, e que fazendo isso Ele mesmo nos suprirá de toda falta. E mesmo agora estando já uma situação posta, com milhares de pessoas em condição de miséria e de esquecimento, não adianta trilhar caminhos humanos para a solução, porque isso somente faz aprofundar a situação de miséria, não porque os ricos estão explorando, mas porque os pobres estão confiando em meros homens, com suas más teologias, seu falso deus barriga e seus caminhos de perdição.
 
A pergunta que se faz é esta: será mesmo que todos os sacerdotes concordam com esta má teologia? Como chegamos a esta quase unanimidade, porque parece que vemos apenas a atuação dos maus, pois se calam as vozes boas? Temos aqui um método diabólico, invenção de um demônio vivo chamado Lênin, que hoje chamam de “patrulhamento ideológico”. Por este método, sempre que alguém discorde do pensamento marxista, comunista ou socialista, – todos eles são demônios no mesmo saco – logo a equipe dos degenerados lhes cai em cima, escarnecendo, zombando, desvirtuando, mentindo a respeito dele, chegando a processos judiciais. Isso quando não chegam ao amedrontamento e a ameaça de morte.
 
Ora, isso acontece não somente na sociedade civil, mas acontece de forma brutal entre o clero. O patrulhamento exercido pelos maus padres contra os bons – idem os bispos uns contra os outros – é brutal em alguns casos, e realmente consegue sufocar e fazer calar os bons. Parece que eles acabam ficando com vergonha do que fazem de bem, e se aliam aos maus, nem sempre diretamente, mas deixando de ser bons. São muito raros aqueles que têm coragem de seguir avante, a despeito das gozações, embora os ataques mordazes, e mesmo contra todo tipo de mentira. Posso lhes garantir que são infindáveis os casos, todos os dias ainda em curso, aonde eles chegam ao ódio, que se torna aberto e furioso. Dentro das ordens do clero, e elas entre si.
 
Um outro artifício asqueroso usado pelos adeptos do mal, que lhes é diretamente instilado por satanás, tem a ver com o orgulho. Mas nem sempre se trata de um orgulho direto – falo da pessoa de si mesma – mas de seguir a um orgulhoso. Falo de endeusar uma pessoa por seus títulos e “devorar” tudo o que ela diz, apenas porque é famoso, é cheio de títulos de doutor e outras veneráveis comendas humanas. Ora, tais pessoas são dentre todas as mais infelizes, porque se esmagam diante de um título, mal sabendo que nem sempre o famoso é correto. Então o seguem naquilo que pode ser um erro grave, e cegamente, sem análise e sem critério pessoal.
 
É por este viés de mentira, que milhares de sacerdotes seguem a orientação do famoso “teólogo” Leonardo Boff, um herege marxista - já calado pelo Papa - exatamente uma figura de frente no combate contra a Igreja de Cristo. O simples fato de ele ter merecido a condenação de Roma, deveria alertar os sacerdotes a que não mexessem neste vespeiro. Deveriam evitar por todas as formas, de citar qualquer coisa que ele tenha dito, e deixar que o esquecimento, o ostracismo, se encarregasse de sepultar todas as idéias dele, porque elas contêm veneno. Veneno contra a Igreja Católica e sua Doutrina, e veneno que ele destila já abertamente contra o próprio Deus. 
 
Mas porque é “famoso” tem muitos títulos, então cegamente é citado ainda por nossos sacerdotes, como um modelo a ser seguido. Ora, ninguém é mais do que ninguém, até porque Jesus disse que quem quer ser o primeiro, que seja o último. Este processo é terrível, porque conduz a uma verdadeira idolatria. Eu pessoalmente jamais, em toda a minha vida, desde que comecei a ler livros, me fissurei por algum autor famoso, idolatrei alguma pessoa, ou me deixei enganar por algum título pomposo de doutor. As únicas pessoas a quem bato continência são aquelas que vencem o inferno e não se deixam enganar pelas aparências. Falo dos santos e mártires! Eles me fascinam! Porque o título terreno passa, o título de santidade, nunca! E ninguém, jamais, será um grande santo, seguindo hereges ou divulgando seus escritos e pensamentos.
 
De que adianta a alguém ser um escritor famoso, se ele escreve a doutrina de satã? De que adianta um pomposo título de teólogo, se os seus devaneios doutrinais sobre Deus, conduzem exatamente contra Deus? Na realidade, se pode afirmar que são mais de 40 anos insistindo nesta maldita tecla de: excluídos, marginalizados, oprimidos, sofredores, numa teimosia sem limites, quando se percebe resultados nulos, pífios, apenas desgaste da Igreja, dispersão de milhões de católicos mal evangelizados para as seitas, além de desobediência generalizada e causa mor deste caos.
 
De fato, se os padres e bispos do mundo inteiro, tivessem dado atenção a aquela carta, da Sagrada Congregação Para a Doutrina da Fé, 6 de agosto de 1984, não teríamos perdido mais de 20 milhões de maus católicos para as seitas, porque então, seguindo a boa e sã doutrina de Pedro, ninguém trocaria o certo pelo duvidoso. Podem ter a mais plena certeza de que a causa desta sangria se deve ao erro brutal desta teologia maldita, que produz uma má catequese, até porque o direcionamento é marxista. Vai no caminho da luta de classes, deste ecologismo diabólico, do falso ecumenismo de Boff & cia, cujo desplante chega a acolher padres e bispos de um lado, pais-de-santo e espíritas, todos num mesmo saco. E saco que satanás vai carregando! Para sua casa!
 
É nauseante a insistência com que eles batem nesta tecla de pobres, excluídos e marginalizados, os alijados do consumo e dos bens materiais, tanto que, quando no início de uma Santa Missa lêem aquela arenga, sinto-me angustiado, e não consigo viver bem a tão assombroso mistério. E sei que milhares de pessoas pensam assim. Sentem-se mal com o desvirtuamento de algo tão sagrado. Infelizmente, por outro lado, uma leva espantosa de católicos mornos, frios e mortos, se não concorda com isso, acaba aceitando tudo com o mais fácil, com a porta larga – onde satanás transita – achando que assim está bem, quando tudo vai mal, e muito mal. Felizmente nossos padres daqui não insistem nisso, e se mencionam é porque outros falam.
 
Como o título que coloquei no texto – joguetes de satanás – sugere, e ainda para mais reforçar, só pode ser um degenerado mental aquele que retira os Sacrários do centro da nave principal das Igrejas, seja qual for o argumento. Nenhum argumento litúrgico evocado neste sentido pode justificar tão nefando ato. O significado dele alcança o infinito e bate no trono do Deus Altíssimo cuja morada é o centro do Universo e o mais alto dos Céus. A Ele a honra, a glória, o poder, o maior, o mais importante, o maior e mais bem decorado espaço, o centro como convém ao trono do Eterno. Mas é isso o que fazem estes maus padres, porque dão ouvidos às matracas de satã, que pregam a deposição do Rei de seu trono, isso porque já o depuseram do trono de seus corações. E se algum dia eles já lhe deram lugar.
 
É também um degenerado mental – sinônimo de loucura intencional – aquele que despe suas capelas e igrejas das imagens de culto, fruto de milenar tradição da nossa Igreja. Quem faz isso, simbolicamente, mas também efetivamente derruba do altar aqueles que Igreja deu honra, e não somente isso, põem fora os vencedores do inferno. Eles não estão ali postos em carne nas imagens, mas o estão em espírito que é evocado pelas imagens deles. Somos sensitivos, e a visão de uma imagem, seja numa casa, seja numa igreja – e mais ali, um local de oração – é fonte de abundantes graças, que sem elas deixam de acontecer. Pior ainda, a deposição das imagens de culto, torna os ambientes em frias casamatas que ficam despidas de seus permanentes moradores.
 
Acaso não é Deus que devemos agradar? Quantos milênios ou séculos se passaram, desde que a Igreja adotou as imagens – em sua sabedoria por direção do Espírito Santo – com seus dilúvios de frutos? Com podem e com que direito agora nos despem destas graças, senão para cumprir um ordem do anticristo, grafada na profecia de São Paulo em 2 tessalonicenses: Ele se levantará contra tudo aquilo que é divino e sagrado, ao ponto de colocar-se no lugar de Deus, e se fazer passar por Deus! Ele se levanta contra Deus expulsando para laterais e para diminutas capelinhas fora nosso Rei e Deus, e se levanta contra o sacro e santo, retirando as imagens de culto. E faz isso também fora, retirando crucifixos dos departamentos, e escondendo imagens.
 
Isso faz deles os executores das ordens da fera, conforme seu plano; fazer com que sejam os sacerdotes a executar o projeto, não eles. De sua parte apenas mal formam os padres – e os deformam – e tratam de patrulhar os rebeldes, os recalcitrantes, os que teimam em manter a Tradição milenar da Igreja. Assistimos assim, estarrecidos, a formação de dois blocos dentro da Igreja, um gigantesco, outro diminuto. O maior é formado pelo exército dos joguetes de satanás, que comandam esta massa informe de maus católicos, e rumam céleres em direção ao abismo. Do lado menor, os poucos que rezam, que no mínimo empunham seus Terços e fazem sua parte. Os primeiros seguem homens, os segundos seguem a Deus. Quem vencerá?
 
Tudo isso cumpre a apostasia final confirmada por Jesus quando previa que no final dos tempos – hoje – haveria um esfriamento na fé. Esta situação é também predita por São Paulo, quando fala da apostasia, que se daria na iminência do anticristo. Ou seja: esta situação nos avisa de que por trás de tudo está anticristo, cujo tempo bíblico, já está em curso desde meados deste ano de 2009. Este tempo previsto pelo profeta Daniel, de três anos e meio, culminará também com o fim da ação do demônio em toda a terra, para jamais retornar a este mundo. O que vemos hoje é o estertor final da grande fera, que não deixará barata a vitória dos filhos, aqueles do Rosário em família. Daqueles que não se deixam enganar pelo diabo nem se tornam joguetes dele, porque seguem fielmente a grande Mulher, Maria, quem estiver com ela não se engana.
 
Assim, você que segue a tradição, que se estremece e lhe corta o coração quando colocam Jesus, nosso Rei, de lado nas capelas – o que já significa o primeiro passo para a derrubada total dos sacrários nas igrejas – deve se preparar para sofrer. Eles farão isso, doravante, ao rompante da força, sem escutar argumentos nem aceitar meias soluções. Por mais que você alerte, prove, demonstre que está errado, eles não irão aceitar, por medo, por vergonha, por patrulhamento dos maus e fraqueza, pois são raríssimos os sacerdotes preparados para dar a vida pela Igreja e sua Tradição.
 
Tudo isso vem da falsa teologia, de décadas de distorção nos Seminários, onde se lê e estuda todo tipo de herege e celerado – porque famoso, embora servo do diabo – mas jamais tocam na vida dos santos, os vencedores sobre ele. Por maus reitores e maus bispos, que não tiveram a devida atenção e zelo pela formação santa de seus padres, hoje chegamos a este desastre, que somente não se confirmará na plenitude, porque ainda existem famílias santas, a quem Deus confiará a guarda do Santíssimo. Serão elas que manterão a chama da fé, e a vida da Igreja, que morrerá no pomposo, no seu aspecto doutoral e teológico, para voltar ao presépio, à manjedoura, mas aos corações de amor e fé. À obediência flor das virtudes, à pequenez nos efeitos exteriores, mas ao dilúvio esplendoroso das graças.
 
Tenham certeza plena do que vou afirmar, quando este mundo podre acabar, e quando o diabo e seus seguidores e joguetes teimosos forem expulsos daqui, todo o atual “tesouro” da Igreja, armazenado em milhares de bibliotecas, e mesmo dentro do Vaticano, com todos os seus tratados e documentos, absolutamente tudo isso desaparecerá e para todo o sempre. Desaparecerá porque tudo isso é fruto da causa humana, das loucuras do homem e seus remendos, e o que vem do homem desaparecerá. Restará o divino, aquilo que realmente vem do senhor.
 
E o que vem Dele? Vêm os 10 mandamentos passados no Sinai, somente isso basta, e estará gravado no coração de todos, e será cumprido por todos. Mas não na letra dos 10, apenas no resumo que Jesus deixou: amar a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmos. Em síntese última, basta a primeira parte, porque quem ama a Deus sobre todas as coisas, também ama e serve ao próximo, como quer ser amado e servido. Então nunca mais haverá tratados, súmulas, bulas, motus, nem mesmo dogmas, porque o dogma central estará fixado em Deus, e para Ele, Nele e com Ele que se realizarão todas as coisas. Porque desde sempre, e para sempre seja dito: Deus não se estuda – Ele está trilhões de vezes acima de nossa pobre inteligência – Deus se vive, com a vida. Quem não O vive, fala apenas bobagens e loucuras sobre Ele. É o que se vê em tantas vãs teologias.
 
Teremos dois anos ainda de batalha para evangelizar, mas advirto: ficará tudo cada vez mais difícil e mais restrito. Deus não quer que afrontemos os padres e bispos, mas os advirtamos em caso de erro. Ele não quer que usemos das espadas físicas, mas a espada mortífera das preciosas orações, da Ave Maria. Quando você estiver triste ao ver o sacrário de sua capela cair, quando ver as imagens dos santos sendo retiradas das capelas, quando sumirem os bancos de genuflexão e forem aos poucos despindo tudo, daquilo que é divino e sagrado, não se desespere, isso logo vai passar. Apenas nunca deixe de atirar Ave Maria contra isso, e o mal acabará por ruir, sem o esforço de mão humana, apenas com a força do amor e dos corações. Assim está previsto nas Sagradas Escrituras e assim será!
 
Assim, você que é um bom catequista, e fiel ao Papa, prepare-se, você pode ser convidado a deixar seu cargo. Você que é Ministro extraordinário da comunhão e quer manter fidelidade aos documentos da Igreja, prepare-se, você pode ser tirado do cargo. Isso já vem acontecendo e se deu com muitos dos nossos. Entretanto, enquanto seu padre continuar celebrando, e pronunciado as palavras válidas da consagração, não deve jamais abandonar a Santa Missa e a participação na Eucaristia. Mas se algum dia estas palavras “Isto é o Meu Corpo” e “Isto é o Meu Sangue” deixarem de ser pronunciadas solenemente, em troca de outras, então abandone sua Igreja e reze em casa. É preferível isso que ser participante da abominação.
 
Até porque o próprio Jesus disse, reafirmando o profeta Daniel: quando virdes a abominação instalada no templo de Deus, então fujam! Porque a partir do dia em que isso acontecer, terá início o auge pavoroso da Grande Tribulação, anunciada pelo mesmo profeta. Chegaremos a isso, porque tudo o que está dito nas Escrituras se irá cumprir, até que venha a grande vitória final. Mas creiam, estarão vivas muito poucas pessoas naquele dia. Penso não errar se disser que nos próximos três anos, a terra irá beber o sangue de mais de seis bilhões de seres humanos. E beberá isso tudo por culpa dos joguetes de satanás; daqueles que fizeram da Igreja um covil de ladrões de almas. Dos que trocaram o culto a Deus por um reles culto aos homens.
 
Aarão!


Fonte: www.recadosaarao.com.br



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

LEIA TAMBÉM
Esgoto do mundo
JULGAMENTO DE UMA ALMA
PURGATÓRIO URGENTE
Aparição de Nossa Senhora no Sertão do Brasil - Parte 2
Aparição de Nossa Senhora no Sertão do Brasil - Parte 1
Visão do inferno
ATAQUES DE ELEFANTES A CRISTÃOS
Arnaldo fala sobre seu envolvimento com o Salvai Almas
Santos e demônios III: São João Maria Vianney
Veja mais artigos relacionados
 

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!


Total Visitas Únicas: 8.514.293
Visitas Únicas Hoje: 1.475
Usuários Online: 284