VIAGEM DO PAPA
Espacojames



Página Inicial
Listar Artigos Site Aarão




Artigo N.º 6248 - VIAGEM DO PAPA
Artigo visto 2347




Visto: 2347
Postado em: 24/09/10 às 09:54:23 por: James
Categoria: Artigos Site Aarão
Link: http://www.espacojames.com.br/?cat=50&id=6248
Marcado como: Artigo Simples
Ver todos os artigos desta Categoria: Artigos Site Aarão


Como eu havia previso a viagem do Papa à Inglaterra foi um sucesso. Nesta hora os pobres "cães" que latiram, devem estar com raiva ou com a cola entre as pernas. Ninguém derruba a Igreja de Cristo, e nesta viagem o Papa abriu caminho para a reconciliação, para a volta deles à unidade. Somente uma minoria não aceitará, e teimará em sua barca furada, até o fim. Viva Sua Santidade o Papa Bento XVI.

1ª REPORTAGEM


Papa inicia sua viagem histórica ao Reino Unido
Pubblicato 2010/09/16
Cidade do Vaticano (Quinta-feira, 16-09-2010, Gaudium Press) O Papa Bento XVI chegou ao Reino Unido na manhã desta quinta-feira, horário local, para realizar a sua 17ª viagem ao exterior. É a primeira visita de caráter duplo de um pontífice, ou seja, como chefe de Estado vaticano e como chefe da Igreja Católica, instituição que conta com 1,2 bilhões de fiéis em todo o mundo e cerca de 6 milhões somente na Grã-Bretanha.

O lema da viagem, "Heart Speaks unto heart" ("Coração fala ao coração") compõe uma das frases cunhadas pelo cardeal John Henry Newman, que no próximo domingo, último dia da viagem do Papa, será declarado beato em uma cerimônia presidida, expecpcionalmente, pelo próprio Papa.

A visita é considerada uma de suas mais importantes viagens, sendo definida, pelos diversos elementos que a envolvem, como "histórica" e também "uma das mais difíceis". Para o pontífice, será uma oportunidade de encontrar as autoridades de Estado e eclesiais, sobretudo os representantes da igreja anglicana. (No entanto, apesar do aspecto ecumênico da viagem, o presidente emérito do Pontífico Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, Cardeal Walter Kasper, não viajou com a comitiva papal por motivos de sáude).

Bento XVI deixou o aeroporto romano de Ciampino às 8h30 locais no avião A 320 da Alitalia. Por deixar o território italiano e ao sobrevoar a França, o pontífice, como de praxe nessas ocasiões, enviou telegramas de cortesia ao presidente da Itália, Giorgio Napolitano, e ao francês Nicolas Sarkozy, invocando a benção sobre as respectivas populações.

O avião com o Papa a bordo aterrissou no aeroporto internacional de Edimburgo, na Escócia, às 10:15 locais, 15 minutos do antes do previsto. O pontífice foi recebido pelo habitual clima escocês, céu coberto com nuvens, e pelas boas-vindas da rainha Elizabeth, que se encontra em período de descanso no palácio real de Edimburgo, motivo pelo qual a visita papal teve início naquele país.

O primeiro compromisso concerne ao nível estatal da viagem: encontro a portas fechadas com a rainha e, em seguida, com as autoridades civis, às quais tanto a monarca quanto o pontífice discursarão.

Antes disso, contudo, foi realizada, no aeroporto, uma breve cerimônia de acolhida a Bento XVI. O pontífice foi recebido e saudado pelo núncio apostólico na Grã Bretanha, Dom Faustino Sainz Muñoz; pelo príncipe Philip, duque de Edimburgo; pelo primeiro-ministro da Escócia, Alex Salmond; pelo embaixador do Reino Unido na Santa Sé, Francis Campbell; e por outras autoridades civis e religiosas.

O avião com o Papa a bordo aterrissou no aeroporto internacional de Edimburgo, na Escócia, às 10:15 locais, 15 minutos do antes do previsto
Logo em seguida, Bento XVI se transferiu de carro ao Palácio Real de Holyroodhouse, onde foi realizada a cerimônia oficial de boas-vindas. O comboio papal foi escoltado pelas ruas de Edimburgo por motos da polícia escocesa.

O sol se abriu no céu escocês logo da chegada do Papa a ao palácio. Em Holyroodhouse, o pontífice foi recebido novamente pela Rainha com seu consorte, o príncipe Philip, e foram tocados os hinos vaticano e, em seguida, inglês. A rainha então apresentou ao Santo Padre uma delegação de autoridades políticas, anglicanas, católicas, britânicas e escocesas.
Terminada a cerimônia oficial de boas-vindas, Papa e rainha se dirigiram ao salão Morning Room do Palácio Real de Holyroodhouse, onde seria realizado o encontro particular do pontífice e da monarca.


Cidade de Edimburgo
A cidade de Edimburgo é a capital do Reino da Escócia, e é marcada profundamente por seu passado tradicional, com imponentes edifícios históricos coexistindo lado a lado com prédios de desenhos arquitetônicos modernos.

A população de Edimburgo é inferior a 500 mil habitantes, porém, devido às atrações internacionais e festivais de arte que a cidade oferece ao longo do verão, essa população sobe para até um milhão em determinados períodos do ano.

A Catedral de St. Mary é a sede da arquidiocese católica de Santo André em Edimburgo. Ela é a catedral metropolitana desde 1886. O atual arcebispo, Cardeal Keith Patrick Obrien, foi ordenado arcebispo e tomou posse da arquidiocese em 1985. A Catedral de Saint Mary celebrará seu segundo centenário em 2014.

No coração da capital escocesa, localiza-se o o Castelo de Edimburgo, edificado sobre um vulcão extinto e a partir do qual as vistas da cidade são as mais privilegiadas.

No aeroporto, foi realizada uma breve cerimônia de acolhida ao ao pontífice.

Ao longo da Royal Mile, podem ser vistos o Castelo, o Parlamento, os precipícios da época em que o trono pertencia ao Rei Artur, e a residência oficial da rainha quando ela vem à Escócia: o palácio de Holyroodhouse.
Palácio de Holyroodhouse.

O Palácio de Holyroodhouse, que por mais de 500 anos foi a residência real oficial, ergue-se aos pés da Royal Mile de Edimburgo. Seus jardins murados estão rodeados de parques, dominados por um vulcão extinto. Ele está próximo também do que resta da abadia de Holyrood, uma das principais abadias medievais da Escócia.

O palácio é a residência oficial de verão da rainha na Escócia. Ali, por um mês a cada verão, apesar do caráter de férias, a monarca executa uma série de compromissos reais. Durante a estada de Sua Majestade, o Duque de Hamilton, a Real Companhia de Arqueiros e os Altos Condestáveis de Holyrood permanecem de guarda no palácio.

Segundo a tradição, o palácio foi fundado pelo Rei David I da Escócia como um mosteiro agostiniano em 1128, depois de ele ter tido uma visão em que uma Cruz (rood), aparecia nos chifres de um cervo - assim, o rei dedicou sua fundação à Santa Cruz.

Depois de anos de decadência, Holyroodhouse reviveu brevemente quando o Príncipe Charles Edward Stuart, conhecido na história escocesa como Bonnie Prince Charlie, montou sua corte no palácio, com a intenção de recuperar o trono para seu pai. No final do século XVIII, o Palácio serviu de residência para o Conde dArtois, irmão mais novo do rei Luis XVI, da França.

Em anos posteriores, a Rainha Vitória, o Rei George V e a Rainha Maria restauraram o palácio e o transformaram na residência oficial dos Soberanos na Escócia, dotando-o com renomadas obras de arte.



http://papanainglaterra.arautos.org/publication/11



2ª REPORTAGEM


A líderes religiosos, Bento XVI diz que a religião deve ser sinal de paz, não fonte de perseguição
Pubblicato 2010/09/17

Cidade do Vaticano (Sexta-feira, 17-09-2010, Gaudium Press) Após encontrar-se com o mundo acadêmico católico na St. Marys University College de Twickenham, de Londres, onde discursou a jovens estudantes católicos e ao corpo docente, Bento XVI reuniu-se com líderes religiosos na Waldegrave Drawing Room, na mesma universidade. Este foi seu terceiro compromisso em Londres, neste segundo dia de viagem ao Reino Unido.


Segundo o Papa, o sagrado não desvaloriza outros campos do questionamento humano.

Falando a líderes de outros credos com cerca de uma hora de atraso com relação ao programa oficial, o Papa pediu por um "respeito mútuo" e "liberdade da prática religiosa" no mundo, permitindo a existência de atos de adoração pública em qualquier lugar sem que o fiel "sofra ostracismo ou perseguição" e respeitando a decisão pessoal de conversão de uma religião à outra.

O forte e claro apelo papal é uma alusão aos recentes eventos no Paquistão e em outros países do leste asiático de ataques contra cristãos e outras minorias religiosas. Segundo o Papa, o papel da religião deve ser trabalhar pela paz, justiça e a salvaguarda da criação, e explorar como defender a vida humana em cada estágio.

O Papa disse aos presentes que o diálogo frutífero entre as religiões requer "reciprocidade da parte de todos". "Estou pensando em particular na situação em algumas partes do mundo, onde cooperação e diálogo entre religiões pede por um respeito mútuo, a liberdade para que alguém pratique e se engaje em atos públicos de adoração e a liberdade de se seguir a consciência sem sofrer ostracismo ou perseguição, mesmo depois da conversão de uma religião para outra". Somente o respeito e a abertura podem prover um efetivo trabalho pela paz, defendeu o pontífice.

Bento XVI falou sobre o papel da religião no mundo moderno. Segundo o Santo Padre, proteção da vida e fornecer as respostas para questões fundamentais "sobre o significado maior de nossa existência humana" em lugares onde a ciência não pode dar respostas é um desses principais papéis. "Porque eles (cientistas) não conseguem satisfazer as mais profundas ânsias do coração do homem e nos explicar plenamente a nossa origem e o nosso destino. A dimensão espiritual para as nossas vidas é fundamental parte da nossa indentidade como seres humanos, que o homem, em outras palavras, não vive somente pelo pão", observou.

Ainda de acordo com o Papa, o "sagrado não desvaloriza outros campos do questionamento humano", mas "serve como um bem maior", que para a fé cristã é amar Deus e o nosso vizinho. Bento XVI pediu aos líderes para servir ao bem maior mais do que "desfigurar a beleza da criação ao explorá-la para fins egoístas", ponderando que a religião devidamente compreendida traz luz e "purifica nossos corações para a nobre e generosa ação de promoção de toda a família humana".

O diálogo entre religião deve acontecer em diferentes níveis do conhecimento mútuo e do respeito e na partilha de riquezas espirituais que não estarão limitadas a uma discussão formal e troca teológica, sintetizou Bento XVI. "Desenvolver e promover um diálogo humano integral trabalhando pela paz, justiça e salvaguarda da criação. A religião deve explorar como defender a vida humana em cada estágio permanecendo não excludente para os indíviduos", concluiu o Papa.
http://papanainglaterra.arautos.org/publication/27


 


3ª REPORTAGEM



Foi beatificado o inglês Cardeal John Henry Newman
Pubblicato 2010/09/20

Viagem histórica do Papa Benedito XVI ao Reino Unido teve como último ato uma Missa em Birmingham na qual foi beatificado o inglês Cardeal John Henry Newman. No aeroporto o primeiro-ministro David Cameron disse que o Papa "falou para um país de seis milhões de católicos, mas foi ouvido por 60 milhões de cidadãos". "Foram quatro dias incrivelmente emocionantes para o nosso país" concluiu.

 

http://papanainglaterra.arautos.org/publication/42


www.recadosaarao.com.br



Ajude a manter este site no ar. Para doar clique AQUI!

Saiba como contribuir com nosso site:

1) - O vídeo não abre? O arquivo não baixa? Existe algum erro neste artigo? Clique aqui!
2) - Receba os artigos do nosso site em seu e-mail. Cadastre-se Aqui é grátis!
3) - Ajude nossos irmãos a crescerem na fé, envie seu artigo, testemunho, foto ou curiosidade. Envie por Aqui!
4) - Ajude a manter este site no ar, para fazer doações Clique aqui!

Lenço Branco de N. Senhora
Saiba o que é, como fazer e as orações necessárias.
Óleo de São Rafael e Santa Filomena
Saiba mais sobre este santo remédio em tempos difícies
As 15 Orações de Santa Brígida
As promessas de Jesus para a alma que rezar estas orações.
Jesus eu Confio em vós
Nada negarei a alma que às 3 hs da tarde recitar minhas orações
Devoção às Gotas de Sangue de Cristo
Será livrado das penas do Purgatório.
Para os irmãos protestantes
Foi no colo de uma mulher que Deus colocou toda esperança do mundo



Total Visitas Únicas: 8.883.119
Visitas Únicas Hoje: 185
Usuários Online: 149